Após repercussão, empresa suspende a demissão de garis em Ribeirão Preto

postado em: Notícias | 0

Prefeitura cancelou a redução no contrato com a Estre, que assim conseguiu manter os funcionários

   

A empresa Estre Ambiental suspendeu a demissão de 30 garis em Ribeirão Preto, nesta sexta-feira, 14. Na manhã de quarta-feira, 12, a empresa responsável pela a limpeza Urbana na cidade demitiu 30 garis, que realizavam varreção de ruas e avenidas.

Ao Portal Revide, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio de Conservação e Limpeza Urbana de Ribeirão Preto  (Siemaco), João Carlos Capana, disse que as demissões ocorreram em decorrência do corte de gastos na empresa. 

 

“Estão cortando verba de várias secretarias, mas a limpeza urbana é um serviço essencial. Não acho certo cortar um serviço como esse durante a pandemia”, comentou Capana.

 

Para reverter a decisão, o Siemaco entrou com uma representação no Ministério Público do Trabalho (MPT) e também com requerimentos na Câmara Municipal dos Vereadores. 

Após a repercussão do caso, a Coordenadoria de Limpeza Urbana informou que, por determinação do prefeito Duarte Nogueira (PSDB), “contactou a empresa prestadora de serviço para manter o plano de varrição original e exigiu a  recontratação dos garis que a mesma  havia demitido”.

 

Na manhã desta sexta-feira, o presidente da Câmara, Lincoln Fernandes (PDT), esteve na sede da Estre e confirmou que as demissões foram suspensas. Em vídeo publicado nas redes sociais do parlamentar, Murilo Muniz, gerente de RH da Estre, declarou que a Prefeitura não irá mais reduzir o repasse à empresa. “Houve uma parceria com a Prefeitura. Como a redução do contrato foi cancelada, conseguimos suspender as demissões”, explicou.

 

“Seria um impacto social enorme nesse momento de pandemia. Cobramos a recontratação para evitar a demissão desses 30 trabalhadores, cuja função reflete na qualidade de vida da cidade”, declarou Fernandes.

 

Entenda o caso

 

Na quarta-feira, 12, a Estre Ambiental, empresa responsável pela a limpeza Urbana em Ribeirão Preto, demitiu 30 garis, que realizavam varreção de ruas e avenidas da cidade. As demissões representam cerca de 10% do quadro de funcionários da empresa. O anúncio do desligamento feito logo que os trabalhadores chegaram à empresa. 

Por meio de nota, a Estre informou que o desligamento ocorreu em virtude de “ajustes contratuais que reduziram o escopo do serviço de varrição prestado para a cidade”.

 

A empresa ainda declarou que teve de realizar o desligamento dos funcionários pois, dada a natureza manual da atividade, não pôde realocá-los em outra função. “Por decorrência da medida, a companhia está prestando o devido suporte aos profissionais, com o cumprimento do pagamento de todos os encargos previstos na legislação trabalhista”, concluiu a Estre.

Procurada, a Coordenadoria de Limpeza Urbana da Prefeitura havia informado que o contrato com a empresa abrange vários itens, com quantidades variáveis, que aumentam ou diminuem conforme necessidade e orçamento. 

 

“Esclarece que  a prestadora  de serviço administra seu pessoal de forma independente, não cabendo a prefeitura determinar o numero de funcionários na ativa, apenas fiscaliza a execução do serviço”, escreveu o governo.

 

Foto: Siemaco

PAULO APOLINÁRIO 14 AGO 2020 14H55

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + dez =