Lixo em praias do Nordeste: o que se sabe e o que falta esclarecer

postado em: Notícias | 0

Ao menos 13,5 toneladas de lixo foram retiradas de praias da Paraíba e do Rio Grande do Norte nesta semana. Origem ainda é desconhecida.

 

Quando e onde lixo apareceu nas praias?

Os primeiros relatos de lixo aparecendo nas praias surgiram na terça-feira (20), na praia do Bessa, em João Pessoa. No dia seguinte, foram encontrados materiais em outros dois municípios paraibanos: Conde e Cabedelo.

 

Na quarta-feira (21), moradores do litoral sul do Rio Grande do Norte encontraram materiais em praias de Tibau do Sul. Já em Canguaretama, Baía Formosa e Nísia Floresta, resíduos apareceram na quinta-feira (22) e nesta sexta-feira (23).

 

Qual a quantidade de lixo?

São pelo menos 13,5 toneladas removidas: 12 das praias do Bessa e Manaíra, em João Pessoa, segundo a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur).

 

Em Baía Formosa, no Rio Grande do Norte o município retirou mais uma tonelada e, em Tibau do Sul, mais meia tonelada retirada da Praia da Pipa, conforme as secretarias municipais de meio ambiente.

 

O que foi encontrado no lixo?

Na Paraíba, a prefeitura encontrou vaso, sapato, máscara, fralda, bicicleta, ursinho de pelúcia, chupeta, plástico e materiais hospitalares.

 

Nos dejetos encontrados no Rio Grande do Norte foram encontrados seringas, tubos para coleta de sangue, documentos, restos de roupas e sapatos.

 

De onde veio o material?

Ainda não se sabe. Segundo relatos de moradores do Rio Grande do Norte, alguns objetos encontrados no lixo, como uma mochila escolar de Recife e um título de eleitor da mesma cidade, indicam que poderia ter vindo de Pernambuco. Nenhuma autoridade pública, entretanto, confirmou a origem, e o governo pernambucano diz não ter sido procurado por órgãos da Paraíba ou do Rio Grande do Norte.

 

A prefeitura de João Pessoa informa que o material chegou até a cidade por meio de correntes marítimas, mas também não esclareceu a origem do lixo.

 

O que o Ministério do Meio Ambiente diz?

Ao G1 e à TV Globo, o Ministério do Meio Ambiente disse que a reponsabilidade pela gestão de resíduos é dos municípios, mas que realiza duas frentes de ação para prevenção e para a recuperação ambiental.

 

“Embora a responsabilidade pela gestão de resíduos seja dos municípios, o Ministério do Meio Ambiente apoia o combate ao lixo no mar a partir de duas frentes de ação: a prevenção, por meio do Programa Lixão Zero, de forma a evitar que o lixo chegue nos rios, na praia e no mar, com medidas como a coleta seletiva, logística reversa e a reciclagem, e a recuperação ambiental, por meio de ações de limpeza de rios e praias. De forma a evitar aglomerações, o Ministério do Meio Ambiente aguarda a normalização das condições sanitárias para realização de mutirões, mas prossegue com ações de fiscalização, como a megaoperação realizada recentemente pelo Ibama no Porto de Santos, que resultou em mais de 70 embarcações vistoriadas.”

Ibama abre investigação

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) abriu nesta sexta-feira (23) uma investigação para apurar o lixo encontrado nas praias do litoral sul do estado desde quarta-feira (21). A informação foi confirmada pelo superintendente estadual, Rondinelle Oliveira.

 

O órgão nacional explicou que essa investigação é um acompanhamento secundário e que a investigação principal, neste momento, está a cargo dos órgãos estaduais. Foi recomendado também a limpeza imediata das praias. O Ibama não deu mais detalhes sobre o tema.

 

Por G1

 

23/04/2021 15h36  Atualizado há 2 dias

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − catorze =