Coleta de Lixo pode parar em Curitiba a partir de terça-feira

postado em: Notícias | 0

Os funcionários da limpeza pública não concordaram com a proposta de acordo coletivo e iniciaram os prazos legais para a greve

 

Em assembleia realizada hoje (08/03) pelo Siemaco – Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba, os garis da capital rejeitaram a proposta de acordo da empresa Cavo Serviços e Saneamento.

 

A empresa oferece reajuste de 6% nos salários e 8% nos tíquetes, condicionados à implantação de acordo mensal de compensação de horas para os coletores domiciliares. Os funcionários querem: Melhoria nos índices de reajuste e não concordam com o fim do pagamento das horas-extras. “A nossa campanha salarial é para garantir benefícios e avançar nas conquistas”, afirmou Manassés Oliveira, presidente do Sindicato.

A direção da empresa e a Prefeitura de Curitiba serão notificadas hoje da recusa dos trabalhadores e do início dos procedimentos para a greve. Uma nova assembleia do Siemaco com os funcionários acontecerá dia 14 de março para decidir os encaminhamentos. Os trabalhadores votarão a aprovação do acordo, que deve voltar para discussão esta semana, ou a deflagração da paralisação dos serviços por tempo indeterminado.

A Cavo emprega hoje aproximadamente 2.500 mil garis que são responsáveis pela coleta de lixo, varrição, limpeza especial e roçada na cidade.

 

 

Lizandra Tadaieski

Assessoria de Imprensa

Siemaco / Feaconspar

 

Tel.: 3304-2435 / 99177-7715

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 15 =