Garis revelam rotina de cuidados durante a pandemia: ‘Não sabem o risco que a gente corre’.

postado em: Notícias | 0

Procedimentos sanitários são adotados antes, durante e após o expediente dos coletores de lixo.

Na pandemia do novo coronavírus, a população adotou novos cuidados e hábitos de higiene em vários locais públicos e estabelecimentos de serviços essenciais. Entretanto, há um serviço que é indispensável para a população em que os cuidados se tornam ainda mais importantes: a coleta de lixo.

O G1 conversou com dois garis de Governador Valadares (MG), no Vale do Rio Doce. Há dois anos trabalhando como coletor, Gabriel Victor de Araújo, de 26 anos, alerta os moradores a terem cuidado com o descarte do lixo nessa crise sanitária.

 

“Muita gente não entende, não embala o lixo da forma correta. Muitos ignoram essas medidas de segurança e não sabem o risco que a gente corre”, relata.

Gabriel é pai de uma menina de cinco anos, porém atualmente mora sozinho. Mas nem por isso ele deixa de se precaver com os cuidados sanitários.

 

“Primeira coisa é desinfetar a luva, depois a mão. Antes de bater o ponto utilizamos o álcool em gel e na hora de chegar em casa deixamos o sapato do lado de fora e nossos uniformes de trabalho ficam separados”, conta.

 

Mesma atenção também é adotada pelo gari Magaiver Domingos da Silva, de 25 anos. Ele trabalha na área há três anos e reside junto com os pais, o filho e o irmão.

 

“Eu não entro diretamente para casa. Não tenho contato direto com meu filho e familiares. Primeiramente retiro o uniforme, seja na varanda, quintal ou garagem, e vou direto pra ducha”, disse.

 

 

O G1 entrou em contato a Prefeitura de Governador Valadares, que informou que até o momento nenhum gari que presta serviço à empresa terceirizada foi contaminado pela Covid-19. Houve apenas cinco suspeitas da doença. Segundo o Executivo, o mês de junho teve um aumento de 12% na quantidade de lixo coletado, comparado o mesmo mês em 2019. Afirmou ainda que a empresa cumpre determinação do Ministério Público e liberou todos os colaboradores que possuem mais de 60 anos ou alguma comorbidade.

 

Como descartar o lixo

 

Para prevenir a contaminação entre os coletores de lixo, confira orientações da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos (SMOSU) de como descartar corretamente o lixo doméstico:

O descarte de todo o lixo (inclusive luvas e máscaras) de origem domiciliar devem ser realizados na coleta domiciliar regular, juntamente com o lixo orgânico e rejeitos. Nesses casos, é preciso usar sacos duplos, fechados com lacre ou nó.

Não devem ser dispostos na coleta seletiva (recicláveis), pois este lixo é encaminhado a unidade de triagem para reciclagem, podendo contaminar os seletores. Quaisquer resíduos suspeitos de contaminação devem ser descartados como lixo orgânico.

 

Se o cidadão contaminado ou em suspeita estiver em isolamento em condomínio, a recomendação é avisar o síndico, que deverá orientar funcionário responsável pelo recolhimento de resíduos do condomínio, com objetivo de manuseio mínimo.

A Secretaria informa ainda que os coletores foram orientados e treinados a ter o mínimo contato com o lixo, e que os caminhões estão equipados com luvas extras e álcool em gel para os funcionários utilizarem na desinfecção sempre que necessário. Sobre o lixo hospitalar, disse que esse serviço é realizado por empresas particulares que dão a destinação correta do material.

Sob supervisão de Zana Ferreira.

 

Por Leonardo Almeida*, G1 Vales de Minas Gerais — Governador Valadares-MG

 

06/07/2020 13h41 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + dois =