Funcionários da limpeza urbana cruzam os braços nesta segunda (18) por ticket-alimentação

postado em: Notícias | 0

Os funcionários da Empresa Via Ambiental Engenharia e Serviços, responsável pela limpeza urbana na parte alta da capital, paralisaram os trabalhos, nesta segunda-feira (18), alegando a falta do correto pagamento do ticket-alimentação. Os garis e margaridas se concentraram na Avenida Deputado Serzedelo Barros Correia, no bairro do Clima Bom, na capital.

Em um registro de vídeo, um homem narra a situação dos trabalhadores enquanto mostra a concentração dos funcionários. “Pessoal não vai hoje não, até hoje não saiu ticket-alimentação pro pessoal, dividiram o ticket em duas vezes, pro dia 20, isso não existe. O pessoal tá aqui sem comer e disseram que não vão sair, e não estão errados não”, narra o homem.

 

Os funcionários da empresa chegaram a deflagrar greve, em janeiro deste ano, para cobrar pagamento dos salários, que estavam atrasados havia dois meses, do vale-alimentação e do plano de saúde. Eles também reprovavam a demissão de 20 colegas de trabalho.

 

Em setembro, após denúncia pela falta de recolhimento regular de lixo em vários bairros, o sindicato que representa os trabalhadores da coleta pediu providências em relação à contratada. A empresa também enfrenta, judicialmente, uma ação de despejo por falta de pagamento acumulado, com saída imediata do imóvel.

 

A Prefeitura de Maceió, inclusive, já buscou a rescisão do contrato com a prestadora, com publicação no Diário Oficial do dia 24 de agosto. A atual gestão alega que a má qualidade do serviço prestado pela Via Ambiental motivou a rescisão do contrato.

 

A assessoria de comunicação da Sudes [Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável] informou, na ocasião, que, rotineiramente, a empresa atrasava a coleta de lixo e deixava de pagar os funcionários, mesmo com o repasse financeiro da Prefeitura.

 

O caso foi parar na Justiça e a empresa recorreu da rescisão, mas o Tribunal de Contas de Alagoas (TCE-AL) negou o pedido cautelar, no fim do mês de setembro. Contudo, o processo ainda não transitou em julgado, ou seja, não foi concluído.

 

Em contato com a Empresa Via Ambiental, a reportagem foi informada que existe um débito com a prefeitura datado da gestão Rui Palmeira, um total de R$ 17 milhões. No entanto, o repasse dos tickets-alimentação de outubro já foram realizados.

 

Confira na íntegra:

 

A Via Ambiental informa que o repasse dos tickets-alimentação de outubro já foi regularizado na data de hoje.

 

Situações como essa, infelizmente, podem acontecer, apesar de todo esforço da empresa. Isso porque a inadimplência da Prefeitura de Maceió permanece e está atualmente em mais de R$ 17 milhões, com valores atrasados há mais de 330 dias.

 

A empresa ressalta, no entanto, que todos os pagamentos de salários, hora-extra, rescisões, férias, plano de saúde e demais benefícios estão regulares.

 

A Via Ambiental informa também que no dia 30 de setembro, a Prefeitura de Maceió reconheceu as irregularidades existentes no processo de rescisão contratual e decidiu por se retratar através da publicação no Diário Oficial.

 

Assim, a Via Ambiental parabeniza a Prefeitura de Maceió pela acertada decisão, ao tempo que aguarda que o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato seja finalmente reestabelecido. A adequada qualidade de um serviço público essencial de limpeza urbana passa necessariamente pela regularidade dos pagamentos e equilíbrio econômico-financeiro do contrato.

 

Por fim, a Via Ambiental segue empenhada em oferecer a Maceió o mesmo padrão de excelência que caracteriza seus serviços de limpeza urbana nas demais cidades em que atua.

 

Lucas Carvalho

 

18/10/2021 11h58 – Atualizada em 18/10/2021 17h26

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =